De acordo com a Variety, a empresa de desenvolvimento e produção Critical Content assinou diretamente com Ursula K. Le Guin os direitos para produzir uma série de televisão baseada em A Mão Esquerda da Escuridão (1969).

O livro, que ganhou tanto o Nebula quanto o Hugo Awards em Literatura de Fantasia, acompanha a trajetória de um homem humano que viaja para um planeta na tentativa de convencê-los a se juntarem à uma confederação intergalática. O homem, no entanto e para a surpresa de ninguém, acaba ficando confuso ao encontrar uma sociedade onde as normas de gênero e sexualidade não são binárias, mas fluidas.

A Mão Esquerda da Escuridão ajudou a solidificar Le Guin como uma autora de sci-fi/fantasia feminista mas, ao longo dos anos, acabou reunindo críticas da comunidade LGBT por normalizar a heterossexualidade ao utilizar pronomes masculinos para os personagens andróginos em posições de poder, mas não fazer isso quando eles se encontravam em papéis de gênero normalmente atribuídos à mulheres. Sobre essas críticas Ursula admitiu a falha, mas disse que a decisão de não inventar pronomes neutros para o livro veio do medo de tornar a linguagem muito confusa. Posteriormente, num conto que se passa no mesmo planeta mas que não tem ligação com o plot do livro, a autora corrigiu este problema.

Como bem disse o io9, com o sucesso de (O Conto da Aia) em anda surpreende que os produtores e desenvolvedores estejam começando a procurar por histórias que não apenas sejam escritas por mulheres, mas que também quebrem com a narrativa única e clássica que vem dominando a considerada “televisão de qualidade”.

A adaptação de A Mão Esquerda da Escuridão ainda não tem nem data de estréia nem emissora anunciada, mas vamos ficar de olho. 😉

 

 

%d blogueiros gostam disto: