Quando Animais Fantásticos e Onde Habitam chegou aos cinemas, em meados do ano passado, as notícias sobre o filme acabaram rodeadas da triste realidade de ter Jhonny Depp como seu vilão principal. Alguns críticos acharam o filme fraco, alguns acharam ele apenas competente, mas para a maioria das críticas o ponto de encontro era no quão fora do padrão Newt Scamander, o protagonista do filme, era – alguns chegaram a dizer que era difícil se identificar com ele. Mas fora de qual padrão?

Fora do padrão d’O Escolhido, do herói masculino de aventuras de sci-fi ou fantasia, fora das tantas e repetitivas representações masculinas de existem ao redor de violência física e arrogância – Newt é o exato oposto disso.

Em seu mais recente vídeo, Jonathan Mcintosh do canal Pop Culture Detective, fala exatamente dessa masculinidade fantástica que Newt apresenta no filme. Eu sei que muitas das nossas leitoras não entendem ou não conseguem acompanhar inglês, então fiz um resumo de tudo que o vídeo fala. A pesquisa para o vídeo foi feita de maneira tão perfeita que eu não poderia ter dito melhor.

Jonathan começa o vídeo explicando que Newt, em qualquer outra situação, seria o típico personagem secundário de um filme de aventura e fantasia, o sidequick. O personagem é quieto, vulnerável e ainda assim confiante, características que passam longe do padrão de herói masculino desses filmes.

O trabalho de Newt também é fora dos padrões: ele resgata e cuida desses animais mágicos, mas não como Doutor Dolittle. Apesar de ter as facilidades mágicas, a conexão de Newt com os animais não é mágica, ele os escuta, presta atenção e atende as suas necessidades de maneiras que outros não o fazem. O filme também não é sobre o humano ser ruim e a natureza ser boa. É mais do que isso.

Newt tem uma masculinidade que é pautada por sentimentos, e por isso ele não se encaixa no que nós estamos acostumados à esperar de um protagonista de sci-fi e fantasia: bravura, força bruta, carisma e arrogância. Nós somos acostumados a perdoar comportamentos violentos e arrogantes vindos de personagens masculinos, e a perceber comportamentos pautados na humildade e sensibilidade como exceções.

Newt não é o escolhido, ele é um personagem comum (mesmo que dentro de um mundo mágico).

O ato de cuidar e a sensibilidade são características normalmente associadas à figura feminina que, quando associados à um personagem masculino, são tradicionalmente vistos como algo negativo (não que eles sejam algo necessariamente positivos quando associados à figura feminina também). Exatamente por carregar essas características como principais em seu comportamento Newt desafia presunções arcaicas de papéis de gênero.

Jonathan considera importante também listar algumas coisas que Newt não é, e que também são importantes:

  • Ele não é Harry Potter, ele é HufflePuff, uma casa associada à amizade, trabalho duro e humildade, todas características que encaixam perfeitamente com Newt. Uma casa menos competitiva e menos propensa a arrogância. Harry faz parte do pantheon clássico de herói hollywoodiano, ele é o escolhido – Newt não.
  • A dor pessoal de Newt não é transformada em arrogância, como é tão comum acontecer nos filmes de sci-fi e fantasia. Um bom exemplo disso é Starlord, de Guardiões da Galáxia ou Tony Stark, o Homem de Ferro.
  • Ele não duvida de si mesmo, nem de seu lugar dentro do universo mágico. Newt é um cara bom que se concentra no seu objetivo pessoal: escrever livros sobre animais.

Além disso tudo o vídeo estabelece uma relação entre o comportamento de Newt e a representação de uma pessoa dentro do espectro do autismo. Newt fica desconfortável em lugares públicos, ele não gosta que encostem nele, sente empatia extrema por outras pessoas, mas tem problemas para se conectar e fazer amizades. O filme não confirma essa hipótese, talvez seja só a maneira com que Eddie quis apresentar o personagem, mas é uma prova definitiva da qualidade da composição do personagem.

Jonathan apresenta alguns arquétipos nos quais personagens fora do padrão heróico masculino caem, e que não são de todo positivos.

  • O Gênio Atormentado: brilhante mas difícil, inteligente ao ponto do transtorno psicológico, sendo isso o preço que ele deve pagar pela sua inteligência. Ex: Uma Mente Brilhante.
  • Cientista Maluco: Personagem excêntrico e caprichoso cujas excentricidades são difíceis de aturar, mas que são corriqueiramente usadas para comédia. Ex: De Volta Para o Futuro
  • Sherlock Holmes: possuem QI’s super-humanos que levam à uma insensibilidade, uma inabilidade ou falta de vontade de sentir empatia por outras pessoas. Ex: Sherlock.

Newt, no entanto, não se encaixa em nenhum desses arquétipos exatamente porque ele não ignora os outros, é na sua sensibilidade que ele ganha força.A narrativa do filme não exige que Newt mude seu modo de ser, que fique mais sombrio ou endurecido emocionalmente e, aqueles ao seu redor que se tornam seus amigos, são aqueles que interagem com ele dentro dos seus termos.

Newt cresce e aprende ao longo de sua aventura, mas é um crescimento sutil e pessoal. Ele aprende a fazer amigos e a confiar neles, é através dessas conexões humanas que se dá o desenvolvimento principal de seu personagem.

Mesmo ao final do filme, quando eles vão enfrentar o vilão/monstro final, o que move Newt é a sua empatia. Ao invés de encará-lo através de uma batalha mágica épica, ele se aproxima do Obscuro com a intenção de acalmar-lo, de impedir o confronto. Quando a força maligna é destruída isso não acontece pelas mãos de Newt. Esse triunfo não é mostrado como algo a ser celebrado, mas como algo melancólico porque os nossos heróis falharam em salvar o monstro.

Em Animais Fantásticos e Onde Habitam derrotar o monstro é mostrado como uma tragédia, porque eles não puderam salvar o monstro.

Eu não podia ter colocado melhor a análise sobre o personagem de Newt. É uma pena que a Warner parece receosa em mantê-lo como protagonista dos próximos cinco filmes da franquia – Newt está garantido apenas para o próximo, mas também pode ter seu papel reduzido. Nós sempre falamos como estamos cansadas de personagens masculinos como protagonistas, mas quando um fora da curva aparece tendemos a vê-lo como fraco.

No fim Newt é talvez representação de heroísmo masculino mais positiva dos últimos anos, um que é pautado por empatia e sensibilidade, que não vê ganho em destruir algo que podia ter sido salvo, que está disposto a aprender e a cuidar de animais e de pessoas. Não estou desconsiderando outros heróis ou mesmo Harry Potter, apenas lembrando que existe mais do que um caminho quando falamos de protagonismo masculino, e que há mais histórias a serem contadas do que a do escolhido, ou a do herói arrogante e atormentado.

Até mais!

Obs: Volta e meia nós recebemos links para vídeos legendados, e eu sei que algumas pessoas baixam o vídeo, legendam, e depois sobem no arquivo próprio. Mas eu, particularmente, não quero me apropriar do trabalho tão bem feito de outro criador de conteúdo online, por isso optei pelo texto explicativo. Não estou condenando nenhum canal que faça isso – eu sei o quão importante é que mais pessoas tenham acesso ao tipo de conteúdo que esses canais produzem, é apenas uma opção pessoal. 😉

  • Guilherme Dei Svaldi

    Mago por mago no cinema de 2016, Newt foi bem melhor que o Dr. Estranho!

  • tani

    Oi, meninas!

    Gosto MUITO desse blog <3 Só um comentário: não consigo ler direito porque a fonte é muito fina 🙁 Cansa os olhos… Se vcs pudessem alterar só o peso da fonte, seria ótimo.

    Muito obrigada <3

  • Bel Ribeiro

    Eu vi esse vídeo assim que saiu, ele é muito amorzinho. Eu amo o Newt e não sabia que tinha tanta gente reclamando dele, mas quando lembro que torcem o nariz para vários personagens com as mesmas características (empatia, sensibilidade, a tendência a preferir a diplomacia à força bruta), eu não me espanto.

  • Sonayra P Duarte Bezerra

    Ele é maravilhoso, amei o filme.. quem leu os livros do Harry Potter, entendeu tudo e toda a complexidade da história! a Experiência foi maravilhosa!

  • Zoya Olivaras

    Newt é perfeito, acho ate por apresentar essa vunerabilidade e ao mesmo tempo saber o q esta fazendo, sem precisar provar nada, Eddie teve perfeito no papel (olha q eu duvidava), mas nos fez amar o filme (sou Potterhead). quem nao queria um Newt, claro q há quem queira uns valentoes, mas eu amaria um Newt

  • Claudia Carvalho

    Eu encontrei esse vídeo no recomendados do YouTube. Assisti e me apaixonei, então corri pra assistir os outros vídeos do canal. Meu inglês não é perfeito, mas tenho um vocabulário bom – pra quem nunca fez curso – e consigo acompanhar.

    Não sei o que faz alguém pensar que o Newt não pode ser atraente. Ele é adorável, fofo, uma graça. Me casaria com alguém como o ele. J.K. Rowling nunca decepciona com seus personagens incríveis.

  • Junior Nicolau

    Muito obrigado por essa análise, sem perceber o porquê me identifiquei muito com o protagonista e não entendia como tantas outras pessoas o acharam fraco em vários aspectos. É realmente triste ver como uma masculinidade diferente dos padrões é tão desvalorizada mas a esperança que pontos de vista assim sejam cada vez mais comuns.

%d blogueiros gostam disto: