SPOILERS para OITNB e Downton Abbey

Em uma análise das cenas de estupro ocorridas na última temporada de Orange Is The New Black, publicada pela Vulture, a autora Jada Yuan desenvolveu o “teste Bechdel” perfeito para cenas de estupros em narrativas (não importa se foram em livros, filmes, séries, etc.). São três perguntinhas muito simples:

  1. O estupro ocorre pelo ponto de vista da vítima?
  2. A cena de estupro possui o propósito de desenvolvimento da personagem da vítima em vez da trama da narrativa?
  3. O abalo emocional da vítima é desenvolvido depois?

Eu ainda poderia acrescenta uma 4ª: “o corpo nu da vítima é mostrado durante a cena como objetivo de sexualização?”.  Se a cena responde sim para essa pergunta em particular, já sabemos que diretores/produtores/escritores em questão são meio doentinhos e deveriam se tratar. Agora, just for fun, vamos listar algumas cenas de estupro que NÃO passam no teste Jada? (é como vou chamá-lo).

  1. Todo estupro de GoT, nenhuma surpresa aqui.
  2. O estupro de Anna em Downton Abbey
  3. O estupro de Alex (Monica Bellucci) naquele filme Irreversível (que todo mundo acha o máximo, por algum motivo inexplicável).
  4. O estupro de Caska no mangá Berserk (particularmente considero que a cultura pop japonesa está em um nível tão arraigado de misoginia que às vezes nem vale a pena citar, meio que já perdi a esperança por essa galera. Porém essa cena foi particularmente chocante para os leitores e Caska nunca mais se recuperou, voltando a um estado infantil da mente.).
  5. Sue Dibny, esposa do Elastic Man na trama de Identity Crisis da DC Comics

Mas também existem estupros que passam no teste Jada? Claro, mas só consegui pensar em dois: o estupro de Verônica Mars, investigado por ela mesma durante a série, e o estupro de Ayla, na saga literária os Filhos da Terra. Esses livros inclusive, apresentam uma personagem menor, uma pré-adolescente que sofreu violência sexual. O arco da jovem porém, está todo atrelado a sua superação emocional, e a personagem Ayla é quem a empodera para que lide com seu trauma. Fora esses dois, há claro, o estupro de Tiffany “Pennsatucky” Doggett em Orange Is The New Black. Eu concordo plenamente com Jada, nas séries de TV dos últimos anos, parece que somente OITNB realmente entende o significado de estupro. O novo Teste Jada gente, apliquem, questionem. Estupro gratuito não passará.

  • Lívia

    O estupro da Naevia, em Spartacus, que não é mostrado, mas é dito, segue estes critérios. O estupro da Lucretia pelo Ashur, que é mostrado, segue pelo menos os critérios 1 e 3. Fico apenas em dúvida no critério 2, já que a vingança da personagem tem mais impacto no desenvolvimento da trama geral. De forma geral, porém, acredito que é uma série que aborda bem o tema, e que não vejo ser comentada com muita frequência.

    • renata alvetti

      Oi! Então, não assisti Spartacus, hehe, só o filme do Kirk Douglas lááá de 1960! Bom saber que é assim!

      • Lívia

        Olá! Acho que eu te dei alguns spoilers então, desculpa. Heheheh. Eu recomendo muito esta série, sou fã dela. Acho que desenvolve muito bem seus personagens, homens e mulheres e tem uma história muito bem trabalhada. Além de ser uma série, que, ao meu ver, sabe trabalhar bem a temático do estupro e do abuso de poder. Tem um ótimo texto faz uma avaliação deste aspecto, se você tiver interesse, está aqui 🙂

        http://geekmom.com/2015/05/spartacus-and-game-of-thrones/

    • Camila Fernandes

      Bem lembrado, Lívia! O estupro que Naevia muda totalmente a atitude da personagem diante da vida e do que ela deseja para si. Não vou falar mais nada pra não dar spoiler, mas é bem assim mesmo. Melhor ainda, que eu me lembre o estupro não é “mostrado”, mas a gente sabe que aconteceu. Ou seja, não houve exploração do crime de forma fetichista (embora Spartacus tenha vááárias outras cenas de estupro em que isso ocorre, infelizmente).

  • Thaís

    Em Millenium, o estupro da Lisbeth Salander acho que se encaixa nessas regras também. Sempre pensei nisso, achei muito legal os apontamentos. 🙂

  • lotif

    Interessante esse teste, não conhecia. Uma dica: o teste deve ser chamado de Teste Yuan (e não Jada). Normalmente chamam-se as criações de um pesquisador ou inventor pelo seu último nome e não pelo primeiro.

    • renata alvetti

      ahh deve mesmo? Jada é um nome tão bonito!

  • Marcelo

    Interessante esse teste, não conhecia. Uma dica: o teste deve ser chamado de Teste Yuan (e não Jada). Normalmente chamam-se as criações de um pesquisador ou inventor pelo seu último nome e não pelo primeiro.

  • A.

    O estupro em Irreversível tem como objetivo mostrar a incapacidade sua como espectador do filme, e as reações no filme, são na grande maioria dos casos é a mesma reação que os seres humanos tem ao presenciar um ato de violência na vida real. Não é que não se deva discutir os efeitos disso na vítima, mas nesse caso em específico mostra o quanto as pessoas são hipócritas e querem discutir na internet o estupro, mas quando essas mesmas se deparam, na vida real, com a mesma situação, elas viram as costas as vítimas. Irreversível também se trata da quebra do tabu “violência” nos filmes, que na maioria das vezes são apresentadas de forma que, quem assiste a idolatra, mas elas nunca aparecem explicitamente, sempre mascaradas por cortes. Também se trata do amor que as pessoas nutrem pela violência gratuita. Voltando a cena de estupro, ela atinge exatamente a sua intenção ao mostrar que vc é incapaz de fazer alguma coisa (já que obviamente todos repararam que a câmera fica estática na mesma posição durante toda a cena) e mesmo se vc fosse capaz, a reação mais comum seria a da pessoa que aparece de fundo na cena e vai embora. E o que faz tudo ser pior é que todos tem medo de admitir que essa é a mais crua realidade. Quantos casos de estupro vcs conhecem que foram interrompidos por um bom cidadão? O que vc realmente faria nesse caso? Iria ajudar ou ficaria com medo de não poder fazer nada e procuraria ajuda de terceiros?

    • renata alvetti

      Oi, então, não se justifica. Se o objetiVo do filme é discutir violência gratuita, ele faz às custas do sofrimento feminino mas sem dar a correta atenção a esse mesmo sofrimento feminino. é o mesmo erro de GoT

  • Camila Fernandes

    Renata, obrigada por dividir isso com a gente! A maior parte dos textos sobre feminismo e representatividade feminina na ficção que tenho lido confirma ou desenvolve coisas que eu já penso, mas esse mexeu com minha forma de ver a questão da violência sexual. 🙂

    • renata alvetti

      Oi Camila, que bom que achou útil! =D

  • Nelson SIlva

    Tendo em vista esse teste, o episódio “Employee of the Month” da terceira temporada de The Sopranos me parece um outro bom exemplo de narrativas bem sucedidas sobre o tema.

  • Jessica

    Ótimo teste, vejo tanta gente perturbando por conta de reclamações de cenas de estupro, mas a maioria me dá náuseas, especialmente se tem nudismo, não sei como as pessoas conseguem assistir, sério. Mas um seriado inteiro que passaria por esse teste é Law and Order SVU, que sempre aborda os abusos e estupros pelo ponto da vítima, que sempre tenta colocar em xeque a culpabilização dela, que já colocou, inclusive, abuso de garotos menores de idade por professores e treinadores, enfim, te deixa com um mal estar por saber que essas coisas existem na vida real, mas a equipe que busca prender os criminosos não, entretanto ajuda a mudar a percepção que muitas pessoas tem de estupro, abuso, pedofilia e etc, às vezes eu acho que tem gente muito doente nesse mundo por romantizar tudo isso.

  • Vale dar uma editada e colocar a Jessica Jones como um estupro que passa no teste! A problematização ali é demais!

  • D

    O Estupro da rainha MarY (Reign) também passa pelo teste, creio eu.

  • Luisa

    Ola meninas! Muito interessante esse teste.
    Só venho questionar uma das cenas de estupro mostrada em Game of thrones que acho que talvez passe no teste, me falem o que vocês acham (quem nao viu todas as temporadas do seriado nao leia o que vem a seguir q tem spoilers):
    a cena de estupro da sansa com aquele menino doido. Nao achei a cena sexualizada (tanto que o greyjoy que foi obrigado a assistir nao parecia contente e sim horrorizado) e a personagem mudou bastante apos o ocorrido. O que vocês acham?

  • Bruna

    Eu acho que o estupro da ANa terra do Érico Veríssimo TB passa no teste. Foi “lindo”. Estupro nunca é lindo, por isso as aspas. Não houve a exposição sexual, mas a situação de violência que afeta todos os personagens, e mostram como ela é FORTE

  • Eu justamente ia falar sobre o estupro de Naevia em Spartacus. Até hoje uma das poucas séries a mostrar o horror da escravidão e do estupro como coisas realmente abomináveis.

  • Paula

    O estupro da Mary Stuart na serie Reign passa pelas três perguntas. Mary desenvolve muito a personalidade depois do fato, e ainda exploram DEMAIS o emocional dela, com o marido, com as amigas, na vida em geral, com ela mesma. No final do episodio há inclusive o numero estadunidense de denuncias em caso de estupro, como parte de uma campanha.

  • Ângela

    Em game of trones há coisas bem nojentas desse nível e como as mulheres ficam nuas. Há até homens que gostam de ver!

  • Paulinha

    Gente! O estupro de Preciosa! Pra quem ainda não viu…. va ver!

  • Tem O silêncio de Melinda também.

  • Acho que Os Pilares da Terra passa no teste. Acontece um estupro, com a personagem Aliena, e em meio às várias outras histórias do livro, o arco dela tem muito a ver com a superação. Tanto é, que ela não quer contar pra ninguém o que aconteceu, e só consegue se relacionar com um homem depois de muito tempo.

%d blogueiros gostam disto: