TEM ATUALIZAÇÃO DO CASO NO FINAL DO TEXTO!

Semana passada, ficamos sabendo do caso de assédio por parte de José Mayer. Vimos atores como Caio Blat defendendo as atitudes do colega e outras tantas pessoas se posicionando contra. Entre elas, a própria Globo disse que afastaria o ator e ainda criou a #MexeuComUmaMexeuComTodas. O que poderia ter sido algo muito legal, caso ela agisse com essa postura em outros casos.

Fazia anos que eu não assistia ao BBB, mal lembro como foi a primeira edição que vi. Esse ano resolvi assistir, mas parei depois de um pouco mais de um mês de programa. Apesar disso, continuei sabendo de algumas coisas pelo twitter e foi assim que fiquei soube dos últimos acontecimentos entre Marcos e Emilly.

O relacionamento abusivo deles começou lá atrás. Marcos já era desrespeitoso com as mulheres no começo do programa, mas o público não deu muita atenção ao que ele fazia. O médico foi colocado no primeiro paredão por Mayara e Vivian, que justificaram o voto dizendo que ele era machista. Isso fez com que Marcos ganhasse vários fãs, já que ele tinha sido “injustiçado”. Marcos e Emilly estão juntos há algum tempo, mas só nos últimos dias que o comportamento abusivo de Marcos foi colocado em pauta.

Na festa do último sábado, dia 08/04, Ieda foi falar com Emilly em um momento em que Marcos não estava presente. Assim que o médico viu, ele começou a reclamar. Ele não queria que Ieda falasse com Emilly sobre as brigas do casal, apesar desse nem ser o assunto da conversa. Essa não foi a primeira vez que Marcos agiu de forma grosseira com Ieda, há semanas atrás ele a desrespeitou quando ela se preocupou com o quanto Emilly tinha bebido em uma das festas. Marcos já foi grosso algumas mulheres durante o programa, mas quando discute com homens, não coloca dedo na cara ou levanta o tom de voz. Por que será, né? Dá para ver o vídeo da briga aqui.

Mais tarde, Marcos reclamou com Emilly novamente sobre o fato dela ainda falar com Ieda. Ele começou a discussão com o tom de voz alto, mesmo que ache ruim quando os outros elevam o tom com ele. Eles seguiram a briga e Marcos disse “Ela (Vivian) é mais evoluída que você em vários pontos”, em seguida compara Emilly com um verme.  Algum tempo depois, ele a abraça e, mesmo Emilly pedindo para ele parar, o médico não solta. “Deixa eu curtir o meu momento” “O teu momento é comigo”. Mais tarde, ele a imobiliza no sofá, mesmo Emilly pedindo para ele sair de cima dela.

Se já não bastasse, eles continuaram brigando, Marcos foi empurrando Emilly até o canto do cômodo e grita na cara dela, apontando o dedo e impedindo-a de responder. Marinalva eventualmente interferiu e ficou perto do casal por um tempo, porque ela obviamente estava vendo o problema da situação. Emilly reclamou que ele a tinha machucado fisicamente, mas o médico continua a discussão, terminando  tudo fazendo ela se sentir culpada enquanto chora. Ou seja, depois de todo esse desrespeito e invasão do espaço, ele ainda consegue jogar a culpa para cima da mulher que está abusando.

No dia seguinte, as brigas continuaram e Marcos insistiu em dizer que o problema era dos dois, que a postura da Emilly estava errada. Quando ela consegue articular melhor o que queria dizer, Marcos se levantou, encerrando a discussão e dizendo que ela deixava a casa insuportável. Tudo isso também foi mostrado na edição do programa de domingo e você pode ver aqui.

Mais tarde, os dois foram chamados ao confessionário separadamente. De acordo com o apresentador, Tiago Leifert, os dois foram alertados sobre o comportamento do casal. Emilly saiu do confessionário acuada e chorando. Marcos não dá espaço para ela, fazendo várias perguntas no momento em que ela sai aparece. Esse pedaço também dá para ver aqui.

A gente podia fazer o bingo do namorado abusivo com tudo isso. Isolar a companheira, humilhar, fazer ela se sentir menos que ele, comparar com outras pessoas, machucar fisicamente, gritar, desrespeitar, intimidar, imobilizar, colocar a culpa de tudo na namorada, chorar e pedir desculpas, mas continuar com o comportamento… Tudo isso são agressões.

E o que acontece? Primeiro, a Globo foi covarde. Eles conversaram com os dois, mas e aí? Eles realmente acharam que a Emilly ia denunciar o Marcos? Assim como muitas outras vítimas, Emilly não está percebendo a gravidade da situação, o fato dela estar isolada em uma casa há meses apenas piora tudo. Emilly tem 20 anos, ela ainda tem muito para amadurecer, querer que uma moça da idade dela faça coisas que nem mulheres mais velhas fazem é irresponsável. Também não sabemos o histórico de Emilly, como são as coisas dentro da sua casa, se ela já passou por outros relacionamentos assim e talvez ache normal… A Globo, vendo tudo de fora, tinha sim a responsabilidade de expulsar Marcos da casa. A regra diz que a expulsão só acontece se a pessoa agredida se manifestar, mas em um caso desses, a emissora precisa colocar o bem de Emilly acima disso. Como um grupo de comunicação do tamanho que é, a Globo precisa dar o exemplo, mostrar que isso é inaceitável. Quando Tiago Leifert diz que isso acontece em várias casas no Brasil, ele infelizmente não está errado, por isso mesmo que o Marcos precisava ser expulso, é um exemplo que mostraria que isso não pode ser ignorado.

O fato dele ter ficado no programa com o apoio de mais de 75% do público também é preocupante. De todas as pessoas que assistem, 77% acharam melhor eliminar a Marinalva do que um cara que abusa da namorada de inúmeras maneiras. Pior ainda: Marcos faz isso em rede nacional, na “casa mais vigiada do Brasil”, então o que ele não faria em outros espaços? E sim, nós sabemos que o isolamento pode afetar as pessoas, assim como a bebida, mas nada disso é justificativa, até porque no dia seguinte Marcos continuou com seu posicionamento e as agressões não são de hoje.

Usar aspectos ruins de Emilly para justificar o que aconteceu é um absurdo sem tamanho. Não importa se você discorda das atitudes dela, mulher nenhuma merece ser tratada daquela forma, de jeito nenhum. Isso é apenas jogar a culpa na vítima. Depois as pessoas ainda se perguntam o motivo das mulheres não falarem sobre o assunto. Se numa casa cheia de câmeras, com provas por todo o lado, as pessoas ainda duvidam ou ignoram, que chance as outras mulheres que passam por isso tem?

Ao menos a polícia do Rio de Janeiro não está parada. Enquanto escrevia esse texto, li aqui que um inquérito foi aberto para investigar o caso e a polícia vai até a casa do BBB.

Enquanto a televisão naturalizar esse tipo de comportamento, muitas pessoas ainda vão achar que isso é aceitável. Os meios de comunicação tem sim esse poder de influenciar as pessoas. Mas machismo não pode ser tolerado, independente da vítima conseguir identificar o que está acontecendo ou não. A Globo foi covarde, parte do público ainda não entendeu, Marcos continua impune e Emilly ainda pode ser mais agredida.

ATUALIZAÇÃO:

No programa de hoje, segunda-feira (10/04), Tiago Leifert anunciou a resolução do caso: A delegada Viviane da Costa foi até o BBB, conferiu as provas e decidiu que aquele era sim um caso de agressão, portanto Marcos teria que ser tirado do programa. Com a quantidade de provas, não era nem necessário que Emilly denunciasse.

Quando Tiago anunciou a notícia para as três finalistas, Marcos não estava mais na casa. Emilly caiu no choro, arrasada com a notícia. Tiago explicou a decisão da delegada e, quando ele saiu do ar, Ieda e Vivian começaram a consolar Emilly. Entre várias coisas que elas disseram, garantiram para Emilly que a culpa não era dela, que era Marcos que estava errado na história. Falaram também que agressão não é só a física, e mesmo assim ele tinha machucado Emilly fisicamente com os beliscões. Dá para ver parte do programa aqui e nos links relacionados.

Algumas coisas que devem ser pontuadas: Isso não deveria ter demorado tanto tempo, mas antes tarde do que nunca, a delegada tomou a decisão certa. É importante que esse caso tenha sido concluído dessa forma. Quando um caso de agressão assim aparece na televisão aberta e o agressor sofre consequências, isso mostra que o que aconteceu é um crime e deve ser punido e não ignorado. Talvez isso faça com que algumas pessoas pensem mais sobre relacionamentos abusivos e violência doméstica.

No twitter, algumas pessoas se irritaram com Emilly, fizeram piadas dizendo que ela era “trouxa” por estar chorando com a notícia. Além de tudo que já falei nesse texto, é importante entender que nem toda a vítima desse tipo de agressão entende o que está acontecendo. É difícil para uma mulher perceber que está dentro de um relacionamento abusivo. Emilly gostava de Marcos, ela acreditava que podia mudar o comportamento dele, como todas nós somos ensinadas que devemos fazer com nossos companheiros. O problema é que mulheres morrem tentando, Emilly podia ter sofrido algo muito mais grave caso Marcos tivesse continuado perto dela.

Emilly não é trouxa, boba, burra ou qualquer outra coisa do tipo por ter ficado chateada ou por ter se sentido culpada. Isso é uma reação normal, ela precisa de tempo para digerir e entender o que o Marcos fez com ela, ainda mais considerando a idade que ela tem. Mulheres são criadas para acreditarem que o comportamento violento de homens é algo normal, que devem entender e obedecer. Emilly se sente responsável e culpada pelo que aconteceu com Marcos, mas isso foram as consequências das próprias ações dele. A tristeza dela não muda em nada a agressão que ela sofreu. Espero que Emilly tenha ajuda quando sair da casa, para que possa entender e lidar com o ocorrido.

Que esse caso sirva para nós entendermos que:

  • Agressão não é só física.
  • Agressão não é aceitável de forma alguma e não deve ser ignorada.
  • Agressão pode sim vir de dentro de casa (é o mais comum, inclusive).
  • O fato do homem parecer ser “uma pessoa boa” não significa que ele não é capaz de agredir uma mulher.
  • A vítima não tem culpa de absolutamente nada.
  • A vítima pode ter dificuldade para entender o que aconteceu, isso é normal e não diminui em nada a gravidade do ocorrido.

Agressão não é entretenimento, nem no BBB e nem em lugar nenhum. Esperamos que Marcos seja julgado e desejamos toda a força para Emilly e sua família.

%d blogueiros gostam disto: