Eu sempre tive paixonite por vilões. Sou especialista neles. Deus sabe quantos posters do Vegeta de DBZ eu tive na parede do meu quarto. E a fanfic que escrevi onde eu e Draco Malfoy nos apaixonávamos perdidamente? E quantos fanarts do Sasuke eu colecionei, desperdiçando espaço do computador da família? E quem não quis casar com o Zuko de Avatar que atire a primeira pedra. Animes são o que mais preenchem a lista: Ikki de Cavaleiros, Hiei de Yuyu Hakushô, metade do elenco masculino de Rurouni Kenshin, todos os personagens masculinos heterossexuais do CLAMP.

 

Meu primeiro crush. 6 anos de idade e já tinha dedo podre.

Durante minha adolescência, eu alimentei crush por todos esses personagens. Achava-os charmosos, misteriosos, e “adorava a cara de mau”; e como eu ficava comovida ao ver eles “mudarem” para caras legais ao serem unidos com seus pares românticos. Vegeta e Bulma então, quase chorei de emoção. Mas, onde que isso é um relacionamento feliz e saudável? Quem realmente quer ser tratada assim?

Aos 12 anos, eu acharia essa cena “fofa”, interpretando que o Vegeta não sabe como entrar em contato com seus sentimentos em relação à Bulma e por isso a afasta.

“Mas no fundo ele ama ela!”.

Atualmente, apenas acho que ela não merece esse tratamento e pode ficar muito bem sem ele. 

E essa noção absolutamente ilusória de que o comportamento dele com a mina “é diferente porque ela é especial”, é porta para o relacionamento abusivo. Muito mais provável e realista que o temperamento caótico de Vegeta resultasse em uma fatalidade para a pobre da Bulma.

E agora, Kilgrave. Parece haver uma romantização desse personagem egoísta e psicótico, e inclusive, há relatos da internet afora de fãs “shippando” ele e Jessica. Fãs compreensivelmente fascinadas pelo charme de David Tennant. Mas o Doctor tá aí pra isso, minha gente. Esse sim tem os dois Bs: Bonito e do Bem.

Não há nada de errado em valorizar Kilgrave como um vilão bem escrito, divertido e cativante. Mas desejá-lo como um companheiro são outros quinhentos. E shippar a protagonista com seu estuprador: tem que verificar esse rolê aí.

Nope.

Tenho dois recados:

Roteristas, se querem dar complexidade e profundidade para seus antagonistas, ótimo. Passado trágico vale, assim como sentimento de não pertencimento e inadequação. Mas não façam com que eles do nada virem “do bem” através do poder do amor. Já deu dessa bagaça irrealista.

Meninas, apenas parem e reflitam. Eu sei que é divertido imaginar, fantasiar, mas garanto que  na vida real, homens assim são verdadeiras ameaças. Fomos ensinadas que podemos mudar um homem, que se doarmos nosso carinho e amor, receberemos ainda mais de volta. Que devemos nos sacrificar pelo bem de um relacionamento, que devemos lutar pelo amor, porque com isso, do dia pra noite, ele será o cara mais bacana do mundo. E né, mais fácil reunir as esferas do dragão espalhadas por São Paulo pra esse milagre acontecer.

 

 

  • Andre centenO

    nossa, muito bom o seu texto. 🙂

    Concordo com tudo que foi escrito, principalmente sobre a importancia de se ter un vilão bem escrito e cuja as origens sejam explicadas, afinal, ninguém é mal por ser mal.

    Eu fiquei com muito medo quando a seRie jessica jones começou a caminhar para uma possivel mudanÇa do poder do amor. Achei excelente isso não ter acontecido. Dela não ter caido nessa cilada e nem os produtores. O kilgrave é um vilão muito bem escrito, mas ainda assim é um vilão, sem empatia alguma.

    Alguém que a jessica nunca ia mudar, pois ele mesmo não via problema algum em ser como ele era.

    Espero que comecem a aparecer mais jessicas no mundo. Temos muitos kilgraves por aí e quase nenhum está disposto a mudar.

    Ps: sei la se é normal, mas Não importa o que eu fizesse o texTo Não saia da caixa alta. :/

  • Mari

    eu tento, juro que eu tento, responder todo e qualquer comentário que tente justificar as atitudes do Kilgrave. porque eu simplesmente não me conformo com comentários como: tadinho, ele não sabe o que tá fazendo, olha o passado dele, ele não aprendeu a amar… outro dia, encontrei outra pérola: alguém falava que quem não merecia ele era a Jessica. juro que queria pedir pro mundo parar porque eu quero descer!
    mas com a mídia romantizando cada vez mais os relacionamentos abusivos, o que a gente pode fazer é explicar até cansar que não, abuso não é amor.

  • Luiza

    Vou colar aqui o que eu escrevi no post do grupo
    Adooooro o Vegeta, mas eu gosto dele por ele ser aquela pessoa sem nhém nhém nhém, sabe? Agora o Kilgrave, podem me bater, me xingar na CCXP mas eu não gostei do que fizeram com o personagem. Isso sim foi ruim, foi exatamente o que fazem na novela da globo quando envolve estupro, a romanticalização do estupro. Tipo, como assim ele [SPOILER] ela, sabe? Nos quadrinhos ele é realmente mal, onde não existe espaço para nenhum tipo de sentimento. Ah, não sei a netflix errou feio e rude nessa parte…
    btw, ótimo texto Emoticon =D
    Mesma coisa com o vulgo, “governador” de TWD… que lixo de personagem fizeram para a TV

    • Bru

      Flor, concordo e discordo de você ao mesmo tempo.
      se Por um lado essa semi humanização dele pode levar à empatia de algumas pessoas (ainda não to acreditando que shippam ele com a jéssica!!), por outro Pode deixar bem claro para outras que o cara abusador, misógino, estuprador, violento e possessivo não é só aquele cara completamente malvado, sem história nenhuma, ele pode ser qualquer cara “elegante” com cara de bom moço, com educação e que realmente acha que te ama, e que nunca tem culpa das merdas que faz, se safando com um discurso bem elaborado na ponta da língua. Considero isso um excelente alerta. *spoilers* a forma como a Jéssica lidou com isso foi sensacional. Ela tentou ajudá-lo e desistiu quando percebeu que precisaria ficar de babá eterna do cara. Me emocionou muito ela saber que mudar o cara não é responsabilidade dela, muito mesmo!!! É o tipo de história que não existe, nós mulheres sempre somos responsáveis pela atitude dos outros e temos que abrir mão de nós mesmas para arrumar o problema alheio.
      Única coisa que faltou pra mim foi uma boa resposta quando ele disse que não tinha como saber se ela queria ou não, e que ele não tinha a estuprado. Eu falaria: “Era só não falar nada no imperativo e esperar minha reação, queridinho.” Posso estar sendo superficial mas pra mim essa foi a cena que mais colocou ele num contexto de “nem tão mal assim” e “não sabia que estava errando”.
      pS: Concordo muito sobre o governador, meu deus que lixo de personagem!!!

  • Bru

    Esqueci de uma coisa que amei na trama: a poesia na forma como ela se liberta dele. ele a ordena que faça algo que na cabeça dela extrapola um limite de tolerância e passa a ser imune aos comandos. Quando ela percebe isso ainda diz “estou livre”. Isso representa o grito de liberdade de uma mulher em um relacionamento abusivo, achei lindo!!

    Outra coisa que eu problematizei muito foram as coisas que o Luke disse pra Jessica quando descobriu que era a assassina da ex. A maioria das pessoas vai achar justificável afinal ela matou a mulher dele e não contou, mas eu achei um absurdo!!! As falas foram pesadas, ele não teve empatia nenhuma sobre a situação (nem sobre ela não ter feito pq quis e nem sobre o fato de ela ter se afastado dele e ELE ter ido atrás, e nem sobre o fato de “como se conta para alguém que vc matou a ex dele”) e como todo homem fez com que algo que era entre duas mulheres passasse a ser sobre ele. Não foi questionada a sanidade mental de um homem que vai atrás de vingança para matar um cara. E pra finalizar o soco que ele deu no bus (ao lado da cabeça da Jéssica) e como ela ficou como única culpada e errada na situação. Parece até com vários relatos de homens violentos que eu conheço.
    No mais eu curto o personagem do Cage mas ele precisa de uma redenção muito fudida pra que eu shippe o casal central novamente. =\

  • Regi

    E um dia desses que li um comentário de uma pessoa falando “nossa, a declaração de amor do Kilgrave pra jessica foi umas das mais bonitas que já vi”. OI??? as pessoas se envolvem de uma forma com a história que deixam o senso crítico totalmente de lado…

  • Pedro

    Se formos ver com atenção, ao longo da série o homem Púrpura tenta convencer as pessoas que ele é bom.
    Eu vi a humanização dele como ma forma dele tentar convencer você- telespectador- e a jéssica da santidade-roxa dele.
    Agora, sobre o Vegeta eu devo descordar. O PRÍNCIPE dos SAYAJINS apenas se demonstra recluso, não gosta de demonstrações de carinho, mas nunca abusaria/agrediria a bulma. diferente do Meruem e a Komugi, que tiveram um relacionamento abusivo.

    • renata alvetti

      Olha Pedro, é que só dele dar essa virada emburrada de ombro, isso já é uma agressão. Agredir não é só por meio físico. e claramente a bulma gosta de demonstrações de carinho, e o vegeta se recusa a corresponder. isso torna eles no mínimo, incompatíveis um pro outro. mulher nenhuma tem a obrigação de aceitar esse tipo de tratamento.

  • Pingback: [NGF TALK] Jessica Jones | NERD GEEK FEELINGS()

  • Rafaela Lopes

    Virando fã da renata, em 3…2…1 eu escrevi sobre isso da romantização do kilgrave no meu facebook, eu fiquei furiosa (muito mesmo) quando vi meninos e meninas dizendo que haviam se apaixonado por ele, e o shippando com a Jessica. só depois desse texto é que parei pra refletir que o problema não está só nas pessoas que se apaixonaram pelo kilgrave, é bem mais grave. como você mesma falou, também cresci me apaixonando pelos vilões, o vegeta, o sasuke, o damon, o draco a lista é looooooooooooooonga. Depois que li sobre relacionamentos abusivos e vi minhas amigas passando por esse tipo de relacionamento, comecei a perceber que alguns daqueles caras pareciam exatamente como aqueles vilões, bonitinhos, misteriosos, charmosos… Mas de fato nunca tinha problematizado esses vilões até agora.

%d blogueiros gostam disto: