Nós todos já vimos várias histórias assim: Existe um personagem homem, ele é o herói, pode ser porque ele é o tal do “escolhido” ou só porque as circunstâncias da história o colocaram naquela posição. Mas esse herói não pode fazer tudo sozinho, então tem uma coadjuvante da história, uma sidekick, uma amiga e parceira do protagonista, que vai ajudá-lo em sua jornada. Às vezes essa mulher é muito mais forte, inteligente e competente para fazer o trabalho, mas por algum motivo ela é a coadjuvante da história e ele é o herói.

Vamos pensar em alguns exemplos. Quando li sobre o assunto (aqui em inglês) o primeiro exemplo imediato na minha cabeça foi Harry Potter. Tudo bem, eu sei, ele é o escolhido, o garoto que sobreviveu e que tem a marca na testa, portanto é ele que vai derrotar o Voldemort. Porém a Hermione é de longe mais competente que ele e que o Rony, inclusive nos últimos filmes isso fica ainda mais evidente, os dois teriam sido derrotados logo se não fosse por ela.

Em Star Wars isso também acontece. Por mais que o Luke se encaixe no que seria um Gary Stu, a Leia parece ser muito mais eficiente que ele. Sim, Luke salva Leia, mas enquanto ele precisa se descobrir no caminho Jedi, quem vai resolvendo as coisas é ela. Fica até mais bizarro quando lembramos que a Leia também tem a força nela, ela também poderia ser uma Jedi e fazer o que o Luke faz, não?

Eu sei que pode parecer complicado usar esses exemplos em que a história tem um “escolhido”, afinal não importa quem está ao redor do protagonista, ele é “o grande escolhido” então é óbvio que, mesmo que no começo ele seja um nada (e continue o resto da história não conseguindo “superar” a moça), é ele que vai salvar o dia.

Então vamos pensar em outros exemplos. Attack on Titan é considerado um anime com grande representatividade de mulheres, afinal de contas não só elas estão em todas as posições do exército, como a melhor guerreira entre os mais novos é uma moça, a Mikasa. Apesar disso, Eren é o personagem principal. Tudo bem, eu sei, ele tem o poder do titã, o pai dele tem grande papel na trama (apesar de não sabermos ainda exatamente qual) e outras questões que ainda não foram abordadas no anime, mas o mangá já trouxe, que colocam toda uma aura de “escolhido” no Eren. Porém, se pararmos pra pensar, não só a Mikasa salva o dia em vários momentos, mas ela é irmã adotiva do Eren, ela estava em uma situação muito similar e poderia acabar caindo na posição de principal. Imagina o quão surpreendente seria: É óbvio que todos entramos em choque ao ver o protagonista quase derrotado no episódio da primeira luta contra os titãs, mas todos os soldados diziam que Eren só conseguia subir no ranking por força de vontade, as avaliações literalmente diziam que ele não tinha nenhuma “habilidade especial” enquanto a Mikasa era uma guerreira nata. Quão assustador seria para os companheiros ver Mikasa sendo derrotada pelo titã, como Eren foi, afinal ela era a melhor deles, e se a melhor não vence, quem vai? Poderia ter se encaixado bem na história também.

Mirai Nikki também tem um caso parecido. Yuki, o protagonista, é completamente incompetente no começo, é óbvio que ele só sobrevive porque Yuno quer salvá-lo. Por mais que ao longo do anime ele vá crescendo, Yuno continua sendo o grande motivo pelo qual ele continua sobrevivendo. Quem assistiu o anime e leu o mangá sabe que a Yuno é uma peça de extrema importância para todos os eventos da história e quando vi Mirai Nikki pela primeira vez não conseguia pensar na finalidade do Yuki, além de ser um par romântico e algo para deixar Yuno “sã” (não vou me aprofundar na questão por ser spoiler, mas quem viu sabe). E mesmo a história girando boa parte em torno dela e ela ser muito mais competente no jogo de sobrevivência que a maioria dos participantes, ela é a aliada do Yuki, inclusive a própria se coloca dessa forma. O quão legal seria se a história fosse do ponto de vista dela?

Na matéria em inglês eles colocaram a imagem abaixo para mostrar outros exemplos em que isso acontece:

“Heróis semi-competentes e mulheres coadjuvantes muito competentes”

Eu não estou dizendo que nenhuma dessas histórias é ruim ou não tenha mensagens interessantes, muito pelo contrário, inclusive Attack on Titan é provavelmente um dos meus animes preferidos e eu adoro como existem tantas mulheres incríveis na história. Os exemplos eram pra explicar que isso acontece e se olharmos para o padrão é que começamos a ver o problema. Em alguns desses casos, quando tiramos o fator do “escolhido”, não faz muito sentido que os protagonistas homens continuem sendo os heróis. Não faria mais sentido que a pessoa mais competente que salvasse o dia?

Particularmente acho interessante que o protagonista seja uma pessoa que não seja completamente competente, que cresça junto com a história, o problema é que é sempre um cara que tem uma amiga que aparentemente podia fazer tudo melhor que ele. E aí para “diminuir” e colocar o protagonista definitivamente na posição de “herói” é comum que a moça entre numa situação de perigo em que precise ser salva. Hermione é capturada em Relíquias da Morte, Leia é colocada na posição de escrava, Yuno precisa ser salva “de si mesma”… De todas que citei Mikasa é a que menos precisa ser salva, mas no mangá tem um momento bem marcante que ela também cai nesse padrão.

Talvez na tentativa de fazer uma história mais inclusiva e com representatividade, os criadores coloquem essas minorias como coadjuvantes e “nosso protagonista é um homem padrão, mas olha só essa coadjuvante incrível que é ainda melhor que ele”. Ué, se ela é melhor que ele, por que ela não é “a escolhida”? Porque, por mais que tenhamos melhorado nos últimos anos, a representatividade na cultura pop ainda precisa aumentar. É legal que tenhamos coadjuvantes de todos os tipos, mas nós não queremos só ser os coadjuvantes que chutam bundas, queremos ser protagonistas também. Por que é mais fácil colocar um personagem mais ou menos como herói do que aquela que é mais competente? E já vimos que mesmo que esse coadjuvante legal seja ótimo e represente minorias, os criadores não hesitam em matá-los.

Fica parecendo que não importa o quão preparada, inteligente, forte e incrível a moça seja, ela nunca vai chegar aos pés do homem, sempre estará ali para ajudar um cara, ser a coadjuvante de um homem que é o “herói de verdade”. Não é algo incomum na vida real também, quantas mulheres ficam com cargos menores em uma empresa mesmo sendo mais competente que seus colegas homens?

Mulheres coadjuvantes são legais, mas mulheres heroínas são melhores ainda.

  • Que observação incrível. <3

  • Moon Valkyrie

    Genial. Eu não tinha reparado nesse padrão, depois que alguém desenha parece muito mais óbvio XD

  • Admito nunca ter reparado nesse padrão antes, mas entendo a falta de competência deles em pensar na mulher como protagonista, homens já não são melhores, se nem na ficção que eles criam eles podem se colocar no lugar máximo, onde mais eles vão conseguir isso?

    Mas fico irritada com Attack on Titan porque fizeram um spin off do Levi, em vez de fazer um de qualquer outra personagem, como da Anne, da Christa, Ymir ou daquela mulher muito tensa lá que é chefe de pesquisa =(

  • Pedro Duzzi

    Olá! Post muito relevante, visto que grande parte dos argumentos contra a representação feminina como protagonista é que as mulheres já tinham um lugar de destaque, porém, não como A Heroína, A Protagonista. Eram sempre a personagem mais legal e mais admirada, mas não a principal.
    Por favor, me tirem uma dúvida: No post sobre a Arlequina, a sessão de comentários foi finalizada? Eu iria fazer uma sugestão lá de um post, pois é relacionado ao cinema, mas acredito que não haja problema de ser feito aqui… Penso que seria muito legal se vocês fizessem algum post relacionado a foto divulgada da Rita Repulsa, no novo filme dos Power Rangers, ou um post geral, comentando a escolha óbvia de cor amarelo e rosa para as personagens femininas, além da foto da Elizabeth Banks.
    Obrigado desde já!

    • Rebeca Puig

      Oi Pedro! A sessão de comentários daquele post foi finalizada por conta dos ataques.
      Estamos de olho no filme dos Power Rangers, logo mais devemos comentar sobre isso! Valeu! 😉

  • eu li isso e na minha cabeça uma voz ficou gritando BLACK WIDOW BLACK WIDOW, afinal claramente muito competente, sempre de lado do moço bobão – seja tony, seja steve, seja bruce, seja todos os avengers – E AINDA NÃO TEM SEU FILME

    • Tava comentando outro dia que a Lady Sif dos filmes do Thor é incrível lutando e parece ser uma personagem ótima, mas ela quase não tem falas… =\ Queria muito um filme solo dela!

%d blogueiros gostam disto: