Em Junho nós ficamos sabendo que a Hera Venenosa de Gotham, conhecida como Ivy  ia passar por uma mudança drástica: ela deixaria de ser uma adolescente de 14 anos, e passaria a ser a encarnação adulta da personagem. Muitos alertas soaram já que a substituição de uma atriz adolescente por uma atriz adulta apontava para uma única razão: hiper-sexualizar a personagem. Sai a atriz Claire Foley (14 anos) entra Maggie Geha (28 anos).

Na época do anúncio o Comics Alliance revelou como se dará a bizzara mudança da personagem:

Após um encontro com um monstro de Indian Hill, Ivy Pepper renasce uma passo mais próxima da vilã da DC que ela está destinada a ser: Hera Venenosa. Agora uma mulher de 19 anos que colhe a totalidade do poder do seu charme, ela coloca seus olhos em Bruce Wayne.”

Importante lembrar: em Gotham, Bruce Wayne é um adolescente interpretado por um ator de 15 anos. Ou seja, o modo como essa abordagem vai acontecer pode dar muito errado. Pensar que uma mulher de 19 anos pode fazer avanços num garoto de 15 torna a personagem creepy. Há esse mito de que garotos novos precisam se envolver com mulheres maduras para se tornarem homens, o que por si só é extremamente problemático. Envelhecer uma personagem para que ela possa assumir esse papel só torna tudo pior.

Dois anos atrás, quando do lançamento da série, a produção assegurou que os personagens adolescentes não seriam hiper-sexualizados. A preocupação era importante já que Hera e Mulher-Gata são duas das personagens mais comumente hiper-sexualizadas dos quadrinhos. Mas em recente entrevista ao The Hollywood Reporter, Ken Woodruff, produtor da série, contradisse exatamente essa premissa.

Nós fizemos a mudança por dois motivos: um dos maiores poderes da personagem nos quadrinhos é o poder de sedução. Todo mundo estava muito mais confortável com uma atriz mais velha, ao invés de uma adolescente. Nós queremos explorar esse poder clássico e canônico da Ivy. E nós não só a fizemos mais velhas, quando ela muda e se transforma, há também uma mudança real na personagem. Ela ainda vai ter alguns dos mesmos traços de personalidade, mas vai ser muito mais sombria, mais manipulava do que a Ivy foi até agora. Há mais maldade nela também. É mais do que só físico.

Eu nunca vi alguém admitir tão descaradamente que a mudança em uma personagem acontece unicamente para que a produção possa hiper-sexualizá-la. Ao mesmo tempo que é reconfortante ver alguém admitir isso tão prontamente, é também incrivelmente sintomático que eles não vejam problema na decisão tomada.

Personagens femininas são hiper-sexualizadas o tempo todo, seja nos quadrinhos, seja na televisão, e optar por transformar uma personagem originalmente adolescente em uma adulta apenas para poder explorar o ~poder de sedução~ dela é um claro exemplo de objetificação. Ivy pode ter um arco interessante como adulta, mas o que a série está fazendo é reduzí-la à um objeto sexual. A questão aqui não é demonizar a sexualidade feminina, mas sim questionar porque não optar por abordar outros aspectos da personagem enquanto ela é adolescente, como a relação dela com as plantas, o ódio que ela sente da humanidade. Há tanto na personagem que poderia ir além da sua sexualidade mas, infelizmente, a série já está deixando claro que esse vai ser o foco da personagem.

Outra questão importante, e que o The Mary Sue levantou, é quanto a idade mental da personagem. Não sabemos como a série lidará com isso mas, mesmo que Ivy tenha passado por uma transformação e seja agora uma mulher com 19 anos, isso quer dizer que ela também envelheceu mentalmente? Essa é uma das minhas principais preocupações com a representação, já que a mídia tem o costume de apresentar garotas adolescentes como mulheres adultas, ao mesmo tempo com que trata homens adultos como garotos adolescentes. Seria então uma menina de 14 anos presa num corpo de 19 anos? Isso será abordado? Provavelmente não. Eu diria que, com o que eu assisti da série, tenho poucas esperanças de que os roteiristas e showrunners se preocupem em realmente trabalhar essa mudança na personagem, ou como isso a afetaria no âmbito íntimo.

Eu gosto muito do universo da DC na televisão, bem mais do que no cinema, mas Gotham é a série mais fraca dentre todas. Supergirl teve seus problemas nos primeiros episódios, mas conseguiu entregar uma primeira temporada divertida e contundente. Arrow afundou de vez na quarta temporada, mas Flash vem mostrando um trabalho bem equilibrado. Eu sofri para terminar a primeira temporada de Gotham, com uma narrativa arrastada e exagerada, em que você não consegue saber em que ano a série se passa, personagens descaracterizados das suas contrapartidas nos quadrinhos, com arcos e personalidades bizarras, para mim, Gotham é o elo mais fraco da DC na televisão. A mudança feita na personagem Ivy só serve para reafirmar o sentimento de que Gotham é tão deslocada do universo DC, que eu sinto dificuldade em achar razões para continuar a acompanha-la.

A terceira temporada de Gotham estreou essa semana nos EUA, nós vamos (tentar) ficar de olho para ver como Ivy vai se desenvolver. Aqui no Brasil Gotham é transmitida pelo Warner Channel e você pode assistir a primeira e a segunda (a seu próprio risco) no Netflix.

  • Isabella Almeida

    nao concordo com vc…sou leitora de HQs e feminista e entendo o papel da mulher…e um ponto que vc levantou que realmente pode preocupar é como o comportamento psicológico da Hera sera apresentado visto q foi uma transformação brusca.Mas gothan é um seriado dark,n existem bem nem mal..pq no universo DC os personagens sao dessa forma…nem mesmo o Batman é completamente bom e quando vc fla que não existe mulher vc se esqueceu da Gata e da Fisher.A gata apesar de ainda ser uma criança é sem duvida mais forte e consciente de si doq o Bruce(apesar de não sabermos sua historia já que o foco é o Batman mirim e o Gordon),outro exemplo de mulher no comando foi a Fish,que nunca temeu ninguem e sempre se mostrou ardilosa
    As mulheres são sexualizadas sim mas entendi a ideia do diretor,é uma característica da personagem ser sexy(e até pq estao cogitando em trazer o coringa para historia,saindo um pko do elenco infantil)….essa critica ta muito rasa.Se vc quiser debater a personagem no original..aí beleza,mas o seriado é algo baseado nos Hqs…acho que se for realmente pra discutir a sexualização da mulher cabe muito mais flar de Jessica Lucas e seu comportamento do que a adaptação da Hera

    • Collant Sem Decote

      Oi Isabella! Estamos aqui para discutir, discordar é sempre saudável! Em momento nenhum eu disse que não existiam outras mulheres na série, acho que você se confundiu. Quanto à problematização ser necessária ou não, eu respeito que você ache ela desnecessária. Todos os argumentos para rebater o que você diz nesse comentário já estão no texto. Vida que segue. Sobre valer mais a penas discutir a Jessica Lucas, aí seria em outro texto, já que esse é sobre a Ivy e a escolha da produção em mudar o rumo da personagem.
      Até mais! ;

      • Isabella Almeida

        Não vi nenhum dos meus argumentos discutidos no texto..ele n discute o HQ só faz suposições prematuras de como será a personagem.Fala-se de “aprofundar a Hera” mas quem acompanha a série percebe que não há real aprofundamento de nenhum personagem que não seja conveniente(os vilões tem uma “historia sad” que explique a vilania mas nda mais) com excessão do Bruce por obviedade e tentativas de fazer o mesmo com Gordon(sempre se qustionando se está fazendo o certo).
        Acho que na vdd você que nao entendeu,o problema está em exatamente no “eu não disse que não existiam outras mulheres na série”,apresentando assim apenas um lado superficial do seriado para aqueles(as) que não acompanham, fazendo o mesmo soar fútil o que não é vdd para aqueles que tem o mínimo de conhecimento do universo.
        O tema era “Ivy e a escolha da produção em mudar o rumo da personagem”,beleza mas cabe dizer que o texto apresenta suposições e novamente, a hera é baseada em um HQ na qual a caracteristica principal dela é ser sexy e sedutora,apesar de o produtor ter dito que não o faria a mudança faz parte de qualquer seriado.

        • Collant Sem Decote

          Oi Isabella. Não vamos ficar repetindo respostas aqui e no facebook. Falamos tudo que tinha pra ser falado por lá! 😉

%d blogueiros gostam disto: