Ghibli tem um poder. Ele é quase inexplicável. É como uma força irreparável.

as-memorias-de-marnie

Ao assistir as memórias de Marnie,eu mergulhei em um espetáculo de story-telling, animação, trilha sonora e tudo o mais que pode compor um filme. Eu chorei no final do filme, chorei antes de dormir ao lembrar do filme e chorei enquanto fazia a pesquisa para escrever sobre o filme.

Anna é uma jovem de 12 anos, aquela idade maravilhosa em que questionamos absolutamente tudo sobre nossa existência. Ela sofre de asma e claramente de ansiedade. Ela não é somente uma garota tímida, ela realmente tem uma profundidade psicológica rara de encontrar em personagens femininas, mesmo as atuais. Ela não é perfeita, não faz as melhores escolhas, principalmente quando se trata de cuidar de si mesma e de seu emocional e consequentemente comete erros. Anna inclusive, expressou como poucas vezes vi na vida (talvez somente em Fruits Basket chegaram tão perto) o que é a dor de se sentir abandonado. E o medo que essa dor gera.

Para se recuperar de uma crise de Asma, Anna vai para uma cidade no interior do Japão, ficar hospedada com parentes de sua mãe adotiva. Esses tios aliás, são as pessoas mais ZEN que já vi na minha vida, lidando com os acontecimentos da forma mais pragmática e relaxada possível.

when-marnie-was-there-clip

Parabéns pra essas pessoas ótimas. Continuem assim

Uma das casas da região chama a atenção de Anna, por sua aparência rústica e misteriosa. É assim que Anna conhece Marnie, e elas se tornam imediatamente amigas. Marnie também é uma personagem feminina maravilhosa, porém ela é retratada de forma muito mais idealizada do que Anna. Mas Marnie é o grande mistério do filme.

marnie

Como qualquer filme Ghibli, o lúdico toma conta da narrativa, nos fazendo questionar o que é realidade e o que é sonho, e por vezes ficamos confusos, até mesmo podendo interpretar de forma dúbia o que as personagens estão sentindo.

O final do filme não decepciona e revela ser uma das histórias mais lindas que já vi sobre amizade, sobre a dor do crescimento e do fim da infância. É um conto primordial sobre sororidade entre jovens meninas.

Não deixem de acrescentar essa coisa maravilhosa na vida de vocês. Assistam As Memórias de Marnie.

P.S. Chorei enquanto escrevia esse review.

P.S.2 As Memórias de Marnie é baseado no livro “When Marnie Was There” da autora inglesa Joan G. Robinson. Não tem no Brasil =[

%d blogueiros gostam disto: