Quando a gente vê alguma merda machista muito grande rodando a mídia nerd é normal querer fazer alguma coisa, querer levantar as nossas vozes e falar em indignação. Aqui no Collant a gente já fez isso algumas vezes, mas como temos um público que é puro <3 poucas delas tivemos um feedback muito negativo. Mas mesmo assim fica sempre aquele receio de que um grupo de pessoas vá te diminuir, e ridicularizar e fica também aquele medinho do ataque pessoal que nós tanto vemos contra mulheres nerds (ou só mulheres de maneira geral).

Rose McGowan, atriz americana da série Charmed e de filmes como Planeta Terror, recentemente twittou uma “dica de figurino” que veio num roteiro que ela recebeu para um filme de Adam Sandler.

Captura de Tela 2015-06-25 às 14.28.36

O texto lê “Notas: Por favor leia o roteiro em anexo antes de vir para que você entenda o contexto das cenas. Nota de Figurido: Camisa justa preta (ou escura) que mostre o decote (sutiãs push-up são encorajados). E leggins justas ou jeans. Nada branco.”

Rose é uma atriz que parece, para mim, sempre teve papéis ligados à sua sexualidade e à sexualização da sua figura, ou seja, ela tem muita experiência sobre ser tratada como um objeto por diretores, roteiristas, colegas de elenco e estúdios.

Algum tempo atrás, Rose falou na Sisterhood of Traveling Producers, um grupo pequeno de jovens executivas e produtoras fundado três anos atrás por Stacy Keppler, sobre sete dicas para enfrentar o sexismo em Hollywood:

  1. Só porque um roteirista ou diretor teve sucesso em alguma coisa antes, isso não quer dizer que eles deveriam fazer de novo.
  2. Se você conhece diretores (homens) que se comportam de maneira insatisfatória, lute contra a contratação deles e ofereça alternativas;
  3. Sugira que papéis tradicionalmente masculinos sejam mudados para papéis femininos;
  4. Coloque roteiristas e diretoras mulheres no topo da sua lista;
  5. Pare de recompensar homens que fazem trabalho mal feito,
  6. Se alguém gritar com você ou te colocar para baixo, pare-os no ato;
  7. Finalmente, parem de achar que filme e Tv são produtos.

Você pode ler mais sobre as dicas dela no The Mary Sue, mas acho que elas são todas <3.

Por causa de sua persona forte e de seu enfrentmento com a indústria, Rose foi demitida por seu agente.

Captura de Tela 2015-06-25 às 14.25.47

Captura de Tela 2015-06-25 às 14.32.54

Mas como a internet sabe ser linda, não demorou para que a atriz começasse a receber incentivo a continuar com seus posicionamentos.

Captura de Tela 2015-06-25 às 14.33.04

Hollywood trata mulheres como objeto tanto na frente quanto por trás das câmeras. É um reflexo de como nós somos oprimidas e ridicularizadas pela sociedade como um todo. É muito bom ver atrizes e diretoras se levantarem e exigirem maior (e melhor) representatividade e direitos.

Se engana quem acha que é só o cinema americano que tem essa tradição de maltratar atrizes. Aqui no Brasil o nosso cinema tem tradição em diminuir mulheres à seus corpos, tendo uma geração inteira de filmes em que mulheres semi-nuas fazia parte da graça. Até hoje é muito difícil ir ao cinema assistir um filme nacional e não se deparar com uma cena de nudez feminina enquanto o personagem masculino fica de cueca. A nossa televisão continua nos tratando como donzelas em perigo e recompensando mocinhos por terem sequestrado a namoradinha que não queria mais nada com ele.

Precisamos juntas, nerds ou não, continuar lutando como Rose por mais espaço e mais representação. Força pra ela e que nos seus próximos papéis e trabalhos como diretora (ela recentemente dirigiu o seu primeiro longa) ela consiga ganhar mais espaço e respeito desse meio que ainda é tão misógino.

Você pode ler uma entrevista com Rose aqui.

  • Rosemberg

    Fico feliz de ver que as mulheres estão contratacando ( o império contrataca ao inverso ) digo contrataque porque o primeiro ataque foi dos homens. E digo que a coisa está mudando quando percebo que me incomodei em ver a imagem da mulher maravilha com aquela roupa e perdi a vontade de ver o filme. Já até a chamaram de mulher periguete. E isso é muito positivo, pois realmente uma mulher não teria nunca um motivo para usar uma roupa que mostra o corpo todo justamente quando os homens usam armadura. Chega a ser hilário quando se vê uma heroina cuja armadura é um biquine.
    Mas claro que também tenho de ver o outro lado em outras questões. Game of thrones pro exemplo, acho que a nudez feminina ali está correta, pois é um retrato de uma época, e nessa época realmente era daquele jeito. mulheres nuas num prostíbulo sendo tratadas como objeto e propriedade, numa época em que a mulher nem mesmo decidia com quem se casar era realidade. O castigo de sersei era plenamente imaginpável numa época onde os castigos das mulheres eram maiores do que o dos homens. Eu mesmo com 44 anos fui criança numa época quando ainda se obrigava uma mulher estuprada a se casar com seu estuprador. E quando eu era contra isso era visto como um louco. Afinal salvar a honra da mulher é muito mais importante. Ou seja acho importante quando o filme ou série tratar da realidade de uma época mostrar isso, ou acaba caindo no esquecimento. Já quando é gratuíto como no caso da princesa Leia, ai realmente concordo que chega a ser vergonhoso. Ja o lance de chamar a viuva negra de vadia, tem um mote, o fato de ela ser espiã. Vadia nesse caso não é não ter emprego, mas usar o próprio corpo como vantegem sensual ou sexual, e as espiãs realmente usavam isso.. e funciona justamente porque o alvo que é um homem cai muito fácil nessa armadilha. O estereótipo nesse caso é mais gritante no universo masculino. Li num artigo que o espião que bebesse tanto quanto o 007 não conseguiria sequer andar em linha reta, atirar no alvo então.. e ser um estereótipo conquistador quando se está bêbado foge completamente da realidade. Bem pra finalizar acho que talvez esteja na hora de preparar um filme ou série que explore justamente essas coisas que não batem com a realidade, de repente feito por mulheres e produzido por mulheres. Uma coisa que não muda é que quando um fato que confronta a realidade é mostrado fica legal. Séculos atrás uma espada tipo montante realmente só podia ser carregada por alguns homens muito fortes, e em geral um homem forte e burro, pois apenas uma morte agonizante o aguardava. Já hoje tanto um homem quanto uma mulher podem escrever um código de computador. Acho que no futuro teremos o inverso acontecendo. Os héteros tendem a diminuir e as outras opções aumentar, e como o mercado é quem dita, muito padrão de mercado terá de mudar. Na minha turma de faculdade só tem uns 4 homens héteros contando comigo. Com mais gente no mercado que não se contenta apenas de ver uma mulher como objeto decorativo ( o gay, trans, e outras opções tende a ser mais critico justamente por ainda estar lutando or seu espaço ) as produtoras terão de mudar.

%d blogueiros gostam disto: